Meus 7 álbuns preferidos de rock e metal de 2020

Ouvi muita música neste ano dos infernos. Entre uma treta e outra do trabalho, para acalmar os ânimos, depois de colocar minha filha pra dormir, nas noites de insônia, nas caminhadas pelo bairro, no carro, no fim de semana trancado em casa. Talvez tenha sido o ano (a retrospectiva do Spotify deve ter acumulado esses dados) que eu mais escutei bandas novas. Mas também curti bandas antigas que lançaram em 2020 ótimos álbuns, como Deep Purple, Ozzy Osbourne e Sepultura. Aliás, o álbum Quadra, da lenda do metal nacional, é um dos que integram a minha lista.

+ 50 melhores músicas do metal nacional

Senti falta demais dos shows, da galera se aglomerando nas rodinhas. Não entrei muito na vibe das lives, mas parece que houve grandes apresentações remotas, como a do Behemoth. Bom, é isso, estes são meus 7 álbuns preferidos de rock e metal de 2020. Seria muito legal ter nos comentários a sua lista também.  

Omens – Elder

Omens, do Elder

Já falei do Elder aqui em outro post. Curto muito o som desse quarteto de Boston. Em Omens, eles continuam misturando rock progressivo com metal e avançando algumas casas no experimentalismo. Com uma pegada anos 1970, com um sintetizador que costura o ritmo quebrado e canções de mais de 10 minutos, o som do Elder é muito bem calibrado entre a explosão dos riffs de guitarra, a psicodelia e a delicadeza em alguns momentos.

Escute no Spotify.


Quadra – Sepultura

Quadra, do Sepultura


Sepultura na sua melhor forma! Fazia tempo que não ficava tão impressionado com um disco dos caras. Desde quando ouvi os primeiros singles, Isolation e Last Time, deu pra ver que vinha coisa boa. Quadra é o décimo quinto álbum dessa lenda do metal nacional. Ta rápido, bruto e profundo ao mesmo tempo. Parece que injetaram uma dose de ânimo no grupo — acho que o Eloy Casagrande (bateria) tem uma influência grande nessa nova fase da banda.

Escute no Spotify.


Obsidion – Paradise Lost

Obsidian, do Paradise Lost


Com certeza, é o disco mais bonito do metal lançado neste ano, ao lado de City Burials, do Katatonia — falo um pouco mais dos dois em outro post. A voz de Nick Holmes em Obsidian modula entre o grave imponente, as frases mais limpas e o gutural, com um jeito de cantar que é só dele. Gregor Mackintosh dispara riffs de guitarra e lindos solos compondo frases melódicas, densas e arrastadas, mas também dançantes em alguns momentos.

Escute no Spotify.


When I Die Will Get Better – Svalbard

When I Die Will Get Better, do Svalbard


Vale ficar de olho no trabalho do Svalbard. É uma das minhas novas bandas de metal preferidas. Tanto pelo som — uma mistura muito original de post-metal e hardcore — quanto pelas letras — o trio engajado de Bristol canta contra a opressão, o machismo e os efeitos nefastos das redes sociais na vida atual. Serena Cherry, além de soltar a voz ao lado do guitarrista Liam Phelan, é responsável pelas composições e concepção visual da banda.

Escute no Spotify.


Throes of Joy in the Jaws of Defeatism – Napalm Death

Throes of Joy in the Jaws of Defeatism, do Napalm Death


Naturalmente um disco novo do Napalm Death, lenda britânica que botou o espírito punk dentro do metal nos anos 1980, criando o grindcore, tinha que estar nesta lista. E que paulada é Throes of Joy in the Jaws of Defeatism! Bota Contagion para ouvir e depois me fala aqui nos comentários o que achou. A pegada seca, raivosa, epiléptica do Napalm Death, gritando contra um mundo zoado, está mais viva do que nunca. Nada mais adequado para este 2020 enviesado.

Escute no Spotify.

Code Orange – Underneath

Underneath, do Code Orange


Falando em paulada, eis o Code Orange aqui! O hardcore encontra uma batida mais industrial no novo álbum da banda de Pittsburgh, que não alivia a mão. No meio do turbilhão de batidas eletrônicas e riffs magnéticos, há também espaço para certo lirismo e refrãos para cantar junto.

Escute no Spotify.

Verminous, The Black Dahlia Murder

Verminous, do The Black Dahlia Murder


Não tem erro! Desde o início de 2000, o The Black Dahlia Murder vem lançando um trabalho melhor do que o outro. Este Verminous é mais um ótimo disco da banda de Michigan (EUA). E como são consistentes, trata-se do nono (isso mesmo!) álbum em menos de 20 anos de carreira. O death metal pesado, técnico e certeiro deve alçar logo a banda ao nível mainstream, pelo bem ou pelo mal.

Escute no Spotify.

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s