Girlschool, pioneiras do metal

Ainda na ativa, a banda inglesa Girlschool, formada apenas por mulheres, tem uma história e tanto. Dividiu o palco com o Motorhead, abriu shows do Black Sabbath no fim dos anos 1970 e engatou uma turnê europeia com o Rainbow. Hoje, andam meio decadentes, mas registraram seus nomes com propriedade no cenário do metal numa época em que o gênero ainda engatinhava.

Girlschool

O grupo nasceu em 1978, quando duas amigas de colégio decidiram enfrentar a hegemonia dos machos nos palcos. Enid Williams, que tocava baixo, e a guitarrista Kim McAuliffe largaram seus empregos e se reuniram na garagem de casa para dar corpo à banda. Convidaram Deirdre Cartwright e Tina para completar a formação. Não funcionou. No lugar das duas convidadas, que tiveram uma passagem breve e pouco produtiva, entraram Kelly Johnson (guitarra) e Denise Dufort (bateria).

Aí sim as coisas começaram a decolar. Em dezembro de 1978, elas lançaram o primeiro single, “Take It All Away”, pelo selo independente City Records. A canção despertou o interesse de Doug Smith, o empresário do Motorhead. Smith acreditou nas meninas e colocou-as para excursionar junto com o Motorhead numa longa turnê do álbum “Overkill” pela Europa em 1979.

Graças a um empurrão generoso de Lemmy, o vocalista do Motorhead, a banda de Enid e Kim gravou o álbum de estreia, “Demolition”, um disco agressivo cujo destaque é a faixa “Race with the Devil”. Em seguida, vieram “Hit and Run”, produzido por Vic Maile, e um EP colaborativo com a participação do Motorhead chamado “St Valentines Day Massacre”.

O início de carreira avassalador foi interrompido em 1982, quando Enid Williams, uma das fundadoras do Girlschool, deixou o grupo. Mesmo assim, um contrato em 1985 com a Mercury Records garantiu um lugar no mainstream do rock americano. Com o álbum “Running Wild”, elas pegaram a estrada numa turnê com o Deep Purple. O som cru e pesado da banda deu lugar aos poucos a incursões pelo glam rock do final dos anos 1980.

Veja as garotas do Girlschool em abril de 1981 se apresentando no programa de TV Top of the Pops (a baterista levemente bodeada).